Submit your work, meet writers and drop the ads. Become a member
Dayanne Mendes Jul 2019
O que tenho passado
E o que tenho vivido
Não dá pra saber

Não serão esses versos
Que irão te dizer

Nem o feed perfeito
Nem a conversa na rua
Poderão expressar

As coisas que sinto
O que eu tenho vivido
É tudo tão subjetivo

Não há nada de poético
No simples cotidiano
No adiar o viver
E apenas sobreviver

Idealizando que um dia
Quem sabe eu poderia
Ter a vida perfeita
Com a família perfeita

As mensagens perfeitas
Pra responder

É tudo subjetivo

No abismo da poesia
Eu hei de me perder

E quem dera que por um dia
Eu pare com toda essa agonia

E aprenda apenas a ser
Demasiado estúpido para comprender tu partida
Leo tus cartas nuevamente, esperando encontrar
Pistas que nunca vi, situaciones que nunca viví

No pido tu regreso
¿Para que? Nada cambiara
Vivo un ahora, sofocado
Solo, mas nunca distante ni aterrado.

— The End —