Submit your work, meet writers and drop the ads. Become a member
Mar 2018
caio quando fecho os olhos

não sei o acontecerá quando aterrar.
não vejo o fundo deste buraco imenso, mas também não o temo.
aliás, anseio-o.

tenho a cabeça crua.

já não sei se caio para o chão ou do chao,
ou para cima.
posso cair de diversas maneiras e faço-as todas ao mesmo tempo.

sou um só com o buraco ***** que me engole.
talvez até seja eu a engoli-lo.
vou ficar com uma indigestão.

quando penso que vou parar, escorrego mais fundo para o
estômago do vazio e o vazio desce-me pelo esófago.

se fechar os olhos adormeço ou acordo? vou tentar.
Written by
Gil
108
 
Please log in to view and add comments on poems