Submit your work, meet writers and drop the ads. Become a member
Sep 2019
Esses dias tua beleza
Se iguala a daquelas noites movimentadas em cidades urbanas.

Seus pensamentos, barulhentos
São como um farfalhar de folhas a meia noite numa ruela vazia.

Teu olhar tem aquele contraste perfeito
Luz artificial adentrando a escuridão profunda.

Seus dedos tamborilando no ar ao som da nossa respiração no ar gélido da madrugada

Nosso silêncio cai como uma oração sob o centro dessa metrópole.

Nascemos em meio a carros e prédios.
E pessoas ocupadas, andando apressadas, que veem e não enxergam e não tem tempo para amar.

Cercados de cultura e arte
Só se preocupam: “onde estavam Vênus ou Marte?”
Para definir falta de empatia como personalidade.

E nós em meio a isso.
Contaminados com a falta de sorrisos.
Andamos olhando para cima
Porque há muita coisa para ver

E nesse andar distraído
O tempo passa rápido, despercebido
Desaprendemos a viver

Ocupados com a falta de empatia
Esquecemos que não só choro; Há alegria
E, quanta hipocrisia!
Ficamos sem tempo para amar.
2017.
Mar
Written by
Mar  18/F
(18/F)   
161
   ---
Please log in to view and add comments on poems