Submit your work, meet writers and drop the ads. Become a member
Sep 2018
Tentei me sentar na mesma cadeira,
Que alguém ao acaso sem amor deixou...
Optei por me sentar na rocha granitica
Que o acaso  abandonou. .

Ai aquela cadeira triste feita de antiga madeira...
Histórias que meu avô Marques queria contar...
Terá ele algum descendente para a amar e sempre guardar...

Ai cadeira triste dos ignorantes que sem vinho parecem se sempre embriagar...
Eu a Deus ligado tento amar a cadeira
Olho a cadeira que está a meu lado,
Pois sem cadeira não existe vinho,nem fado...

Mas a cadeira por William Baker parece  pintada,
Eu sou naturalista da terra, da pedra,
Da natureza consagrada.
Mas a cadeira está comigo a meu lado,
E eu sou o presente, futuro e passado.
Cadeira,memória
Victor Marques
Written by
Victor Marques  Douro Valley, Portugal
(Douro Valley, Portugal)   
220
   ---
Please log in to view and add comments on poems