Submit your work, meet writers and drop the ads. Become a member
May 2018
Anjo abandonado na desilusão
Sobre a viela obscura do desdém
Canta a decrepitude de seu coração
Para de si mesmo e além

Sorrateiro sentimento desfeito
Sob o véu de uma ruína assombrada
As feridas lhe servem de afeito
E te ornam como uma coroa amaldiçoada

Às últimas crisálidas do desalento                                                
Que farás de tua alma aturdida?
Moribundo perdido no frio relento
No vórtice vazio de tua ferida

Renunciarias tua lida se pudesse
Se ao menos um fantasma te acalentasse...
Written by
Othon B  M
(M)   
263
 
Please log in to view and add comments on poems